Sente-se especialmente cansado? Pode sofrer de astenia de primavera

Sente-se especialmente cansado? Pode sofrer de astenia de primavera

Leitura Original: Internet

Passamos o inverno a sonhar com os primeiros raios de sol, mas a verdade é que a chegada da primavera nem sempre é vivida em total harmonia. Há quem associe os meses de março, abril e maio a um cansaço fora do normal ou sintomas de desmotivação ou até mesmo de depressão.

Se já sentiu algum destes sintomas, não se preocupe. Faz parte da metade da população que não escapa a um síndrome que até já tem nome: a astenia de primavera. Os sintomas – falta de energia e de apetite, dificuldades de memória, irritabilidade, diminuição da libido, fadiga, fraqueza e desconforto geral – não são fáceis de gerir, mas a boa notícia é que não se trata de uma doença.

A astenia da primavera é um síndrome que ocorre devido a um conjunto de fatores, sendo o ponto de partida a mudança da hora que acontece geralmente no final de março. Apesar de ser apenas uma hora de diferença, o corpo precisa de se adaptar a uma rotina que lida agora com mais horas de sol. É normalmente nesse período, antes da adaptação total, que o corpo se sente mais vulnerável e sujeito à lista de sintomas já mencionada.

Além disso, esta mudança acontece também numa fase de grandes diferenças climáticas, mais ainda numa altura em que o conceito de meia-estação deixou de existir, o bom tempo associado à primavera parece chegar mais tarde e passamos de temperaturas frias para o bom tempo – e vice-versa, no outono – de uma forma brusca, dando menos tempo ao corpo para se adaptar.

Nem sempre a astenia é um problema sazonal associado exclusivamente à primavera, podendo derivar de problemas funcionais como o stress, a ansiedade ou estados depressivos, sendo estas manifestações associadas à chamada astenia funcional. Já a astenia orgânica pode derivar de problemas cardíacos, pulmonares, anemia entre outras patologias.

As mulheres sofrem mais

Um estudo realizado em 2012 pelo Centro de Investigação sobre Fitoterapia espanhol revela que mais de metade das pessoas sofre de cansaço generalizado quando chega a primavera, com as mulheres entre os 35 e os 50 anos a encabeçar a lista da população mais afetada. Os médicos envolvidos na investigação lembram que as mulheres são mais afetadas pelas alergias típicas desta época, que causam um mal-estar generalizado e ajuda a perceber esta tendência para sofrer de astenia.

É possível reduzir os efeitos

A astenia é uma situação difícil de prevenir, mas existem formas de minorar os sintomas associados. A alimentação é o primeiro passo. É importante que a dieta seja equilibrada e rica em produtos da época. O ideal será apostar em alimentos mais energéticos, como a banana ou os frutos secos, por exemplo.

A prática de exercício físico vai complementar este trabalho feito pela alimentação, uma vez que aumenta a produção de endorfinas (neurotransmissores produzidos pelo cérebro) que promovem a sensação de bem-estar. A fechar este trio de receitas para diminuir a astenia está o repouso, fundamental para ajudar o corpo a restabelecer energias. É importante gerir o stress, planeando bem as tarefas do dia a dia, não descurando as horas de sono que, idealmente, deve ser de sete ou oito horas.

A astenia de primavera, apesar de afetar o bem estar geral, é sazonal e passageira. Mas atenção, os sintomas não devem durar mais do que dez a doze dias. Caso perdurem, talvez seja boa ideia consultar um médico, para perceber se existe alguma patologia associada, nomeadamente anemia, depressão ou alguma perturbação da tiroide.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *